Barack Obama


Barack Obama foi o primeiro presidente negro eleito nos EUA. O País, que é tido como um dos mais segregacionistas, mostrou para o mundo que mudanças e grandes evoluções são possíveis. O sonho do Martin Luther King começou a ser realizado? Obviamente que não podemos colocar tamanha responsabilidade nas costas do presidente. É apenas o começo de uma possível mudança na postura da população e do governo dos EUA. O que está acontecendo no país deve servir de exemplo para nos brasileiros. A própria imprensa americana utilizou tal acontecimento comparando com a realidade brasileira. Jornais de grande influencia no país noticiaram o grande passo a frente do país em relação ao Brasil, que se diz um país plural, mas, que na realidade, nunca reconheceu o legado cultural e político que os negros nos deixaram e estão nos deixando.

Obama não representa apenas uma vitória para o movimento das minorias e seus simpatizantes. Ele é símbolo de uma nova era na política externa dos EUA. Uma política menos belicosa e favorável ao diálogo e às concessões. As medidas unilaterais que marcaram muito o governo do seu antecessor diminuirão sensivelmente. Obama já prometeu que vai acabar com a divisão entre eixo do bem e eixo do mal, difundida pelo Bush. O democrata já se mostrou disposto a sentar pessoalmente com o Kim Jong II, líder norte-coreano, por exemplo.

Internamente, estão prevendo uma Obama mais preocupado com o social. Especialistas acreditam que serão adotadas medidas político-econômicas semelhantes ao do Welfare State, do presidente Roosevelt. Ele já prometeu criar 2,5 milhões de novos empregos até 2011 num plano político agressivo e, que isso, será a solução para enfrentar os problemas da crise.

O presidente já conseguiu, antes mesmo de iniciar a sua jornada, obter certa confiança da Venezuela e da Rússia, dois países que não mantiveram boa relação com o antigo governo. O presidente russo Dimitri Medvedev disse que Obama estará aberto a mudanças em relação ao plano unilateral americano de implantar um escudo antimíssil na Europa, colocando equipamentos no espaço aéreo de países do leste europeu. Bush defendia adotar tais medidas independente do consentimento russo. Obama também está conseguindo conquistar o Hugo Chávez. O venezuelano afirmou que espera que o Obama consiga, por meio do diálogo, a enfrentar problemas globais, tais como os ambientais, a guerra do Iraque e as questões diplomáticas em relação ao Irã, Venezuela e Cuba.

Grandes desafios do próximo presidente americano serão a recuperação da opinião internacional no que tange o respeito aos direitos humanos por parte do exército americano e a luta contra o terrorismo sem que se utilize o terrorismo para tal. Para isso, Obama prometeu desativar Guantánamo e vencer a guerra no Iraque, acabando com o Al Qaeda. Creio que desativar a cadeia vai ser uma grande vitória para a população cubano e também mundial. Vai ser um símbolo em favor dos direito humanos e da libertação cubana contra parte do domínio americano em seu território. Porém, não acredito que a segunda proposta do Obama vai ser bem sucedida. Não tem como acabar com uma organização tão sólida como o Al Qaeda militarmente. O caminho que deve ser perseguido é o inverso. Deve-se acabar com o motivo que impulsiona o grupo guerrilheiro a ter ódio pelos EUA. Não acho que essa vai ser a proposta adotada pelo atual governo americano.


Choque digestivo

Não sei se você ficaram sabendo - provavelmente não! - mas ontem, dia 19, tivemos um ato público em frente à Casa do Jornalista, protestando contra a censura na imprensa mineira (ah, é, Abadia?), o cerceamento à liberdade sindical e o sucateamento da máquina estatal.

Bem que eu reparei: lá no Centro e ao longo da Av. Catalão (por onde eu passo para ir à faculdade), tinha uns cartazes com caricaturas fazendo reivindicações ao (des)Governador de Minas, o capitão-geral Aécio Neves. Só que nessas terras denúncias ao mandatário do executivo estatal não são pauta na imprensa. Dizer que a Cemig está sendo sucateada não pode, sinhôzinho não gosta.

Abaixo segue um trecho da carta, entregue durante o ato público, denunciando o caos do serviço público mineiro. Isso é pauta.

“Na saúde, a qualidade dos serviços e as condições de trabalho estão tão precárias pela falta de investimentos que até o Ministério Público do Trabalho repassou verbas para tentar minimizar problemas estruturais de algumas unidades. Os hospitais sofrem com superlotação, falta de equipes e de instalações para atendimento à população.

Na educação, após décadas de luta pela valorização do magistério, presenciamos o governador de Minas Gerais se aliar a outros, para impedir que o piso nacional de R$ 950,00 dos professores seja implantado.

Na área de segurança, os investimentos divulgados pelo governo estão muito aquém das necessidades verificadas. São 14,3 homicídios dolosos para cada 100 mil habitantes e há superlotação em cadeias públicas sob controle da Polícia Civil.
Enquanto isso, o governador Aécio Neves viaja numa sutil campanha eleitoreira e a sociedade fica trancada em suas casas com medo da violência nas ruas.

A Cemig propõe cortes nos postos de trabalho, precarizando a prestação de serviços através da terceirização. Uma posição totalmente oposta aos lucros que vem apresentando há vários anos. Vale salientar que, em 2008, a empresa deve obter o maior lucro de sua história, cerca de R$ 2 bilhões.

Já a Copasa, que fornece um serviço essencial à saúde da população, tem voltado seus interesses para as ações na Bolsa de Valores, deixando de investir em municípios que não dão lucros. A política adotada na empresa é de discriminação de idade, através da demissão de trabalhadores concursados, enquanto contrata assessores sem concurso público com altos salários. Ela beneficia ainda grandes construtoras com a prorrogação de contratos.

Cabe denunciar que, enquanto as empresas públicas mineiras gastam milhões de reais em publicidade, a população amarga faturas altíssimas de energia e de água.

Não podemos mais esperar, resignados, que o nosso Estado, tradicional na defesa da liberdade, volte sua atenção para os interesses da sociedade. É preciso construir uma gestão democrática, que beneficie a população e, sobretudo, volte a dar espaço para a liberdade”.

Assinam:

ASTHEMG – Associação Sindical dos Trabalhadores em Hospitais do Estado de Minas Gerais, CNTI – Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria, CUT – Central Única dos Trabalhadores, Federação dos Urbanitários de Minas Gerais, NCST – Nova Central Sindical de Trabalhadores, FEM-MG – Federação Estadual dos Metalúrgicos, FNU – Federação Nacional dos Urbanitários, Fisenge – Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros, Saemg – Sindicato dos Administradores de Minas Gerais, Senge-MG – Sindicato de Engenheiros no Estado de Minas Gerais, Sinarq-MG – Sindicato dos Arquitetos de Minas Gerais, Sindágua – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Purificação de Água e Esgoto de Minas Gerais, Sindepominas – Sindicatos dos Delegados do Estado de Minas Gerais, Sindec-MG – Sindicato dos Trabalhadores em Entidades Culturais e Recreativas no Estado de Minas Gerais, Sindicato dos Bancários de BH, Sindicato dos Eletricitários de Juiz de Fora, Psind - Sindicato dos Psicólogos, Sindicato dos Securitários de Minas Gerais, Sindieletro - Sindicato dos Eletricitários de Minas Gerais, Sindpol – Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais, Sindpúblicos – Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais, Sind-Saúde – Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais, Sindsul – Sindicato de Eletricitários do Sul de Minas, Sind-Ute-MG – Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais


Fonte: Novojornal

E hoje nem é feriado

Em terra que celebra Tiradentes como mártir da Inconfidência, Zumbi é largado de lado. E depois dizem que brasileiro não é racista - ô, raça!

Fim das férias forçadas

Aguardem, vidraças!

Eleições nos EUA

Obama só não vence se houver fraude

"Estamos na reta final das eleições e há uma tendência relativamente segura de que Barack Obama deve se tornar o próximo presidente dos Estados Unidos", afirma [o doutor em história social da Universidade de São Paulo (USP) Sidney Ferreira Leite].

Os dois candidatos estão investindo nos Estados onde a situação eleitoral não está definida, como Ohio, por exemplo. "Eles não vão para Estados como Califórnia e Nova York, porque ali é certa uma grande vitória de Barack Obama", diz Leite.

Segundo o professor, todas as pesquisas apontam a vitória de Obama. "Só se houver uma fraude no processo eleitoral, que não é absolutamente impossível, mas Barack Obama deve ganhar. Inclusive, com relativa facilidade, não só no percentual de votos populares, mas, principalmente, no Colégio Eleitoral, porque tem larga vantagem nos Estados que têm maior número de delegados", explica.



Isso me lembra um vídeo postado aqui recentemente...

O nosso estimado Governador

Encaminhando importante documento, ainda em meio a férias forçadas.


É com perplexidade e pesar que compartilho com vocês o episódio ocorrido ontem por volta das 21h, no galpão ocupado há 10 anos pela organização não-governamental Circo de Todo Mundo, sediado na Rua Santo Agostinho, 1441 – Bairro Instituto Agronômico, em Belo Horizonte.

Ontem, dia 27 de Outubro, o vigia da instituição foi rendido por policiais militares que chegaram ao local na calada da noite, juntamente com representantes do Governo do Estado e a Copasa (sem nenhum comunicado prévio), munidos de documentos e tratores que autorizavam a destruição do espaço físico utilizado há 10 anos pela ONG Circo de Todo Mundo em Belo Horizonte. Esta organização atua há 18 anos na capital mineira, atendendo centenas de crianças com trajetória de moradia na rua, vítimas do trabalho infantil e de abusos de toda a ordem, crianças encaminhadas por Conselhos Tutelares, cumprindo medidas sócio-educativas, da comunidade local, etc...

A ONG Circo de Todo Mundo é reconhecida no cenário nacional e internacional pela seriedade e compromisso com a defesa dos direitos de crianças e adolescentes. Seus fundadores participaram da implementação de políticas públicas destinadas à fiscalização e defesa dos direitos das crianças e adolescentes e influíram ativamente na constituição dos Conselhos Municipal e Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente no Estado de Minas Gerais. A instituição tem assento no Fórum Nacional de Erradicação do Trabalho Infantil e recebeu em 2007 o Prêmio CEPAL pelas ações que desenvolveu na capital mineira de erradicação do trabalho infantil doméstico e proteção ao trabalho adolescente. Em 2003, foi agraciada com o Prêmio Itaú-Unicef e o Prêmio Direitos Humanos, concedido pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República.

O desfecho trágico da noite de ontem, foi ainda pior no dia de hoje, quando crianças, adolescentes e jovens chegaram para brincar, encontrar com seus amigos, se alimentar, pesquisar, estudar, etc... no turno da manhã. Ao invés da acolhida habitual, encontraram um circo murado e um belo painel estendido pelo Governo do Estado de Minas Gerais, com imagens computadorizadas, que exibiam o que será o próximo Centro da Juventude (projeto Plug In) de Belo Horizonte. As crianças, jovens monitores e familiares não retornaram às suas casas. Junto com funcionários da organização, se sentaram na rua e resistiram, exigindo das autoridades públicas uma explicação.

Porém, o comunicado distribuído pelo Governo do Estado no local era dirigido APENAS à imprensa. O comunicado informava que desde Abril de 2008, a organização Circo de Todo Mundo havia sido informada sobre os novos planos do governo para o local e que devido a divergência do público alvo não foi possível estabelecer uma negociação. O Governo do Estado alega que como a ONG Circo de Todo Mundo atende crianças a partir de 06 anos, suas atividades não poderiam ter continuidade naquele espaço que seria agora destinado a atender à juventude.

Ora, todos nós sabemos o quanto é árdua a tarefa de conseguir um espaço físico para desenvolver um trabalho com crianças social e economicamente marginalizadas. Os primeiros anos de história dessa organização em Belo Horizonte registram bem os obstáculos já enfrentados. Sugiro a leitura do livro "Uma História de Magia e Cidadania", lançado no ano 2000 pelo Circo de Todo Mundo (disponível nas livrarias), onde o registro das constantes mudanças de espaço feitas pela instituição estão bem retratados.

Compreendemos que é sim de direito do governo, ter de volta o terreno que é de sua propriedade. E é por isso que as lideranças da ONG Circo de Todo Mundo estão em constante diálogo com a Secretaria de Estado da Cultura de Minas Gerais buscando alternativas, já que como instituição sem fins lucrativos ela não conta com recursos próprios para alugar um outro espaço assim "da noite para o dia". Porém, o diálogo foi interrompido ontem à noite, de forma brutal, quando a organização foi desalojada.

Apenas 03 pessoas conseguiram entrar dentro do galpão (Maria Eneide Teixeira, Vera Anastácio e Osvaldo) enquanto o trator destruia parte do galpão e funcionários do Governo encaixotavam parte do patrimônio físico da ONG. O fotógrafo Carlos França (que trabalha como free-lancer para o Circo de Todo Mundo) conseguiu registrar imagens do que estava ocorrendo na parte externa, mas foi impedido pelos policiais militares de entrar no local e filmar toda a destruição dentro do galpão.

O que fica para nós – sociedade civil comprometida com a defesa dos direitos de crianças e adolescentes de nosso País – são as questões:

Qual é a política do governo do Estado para as crianças e adolescentes de Minas Gerais?

Porque o diálogo com a ONG foi interrompido de uma forma tão brutal??

Porque o despejo foi realizado na calada da noite, sem aviso prévio??? Será que o Brasil vive mesmo uma democracia??

Que exemplo as autoridades públicas do Estado de Minas Gerais estão dando às nossas crianças com atitudes como esta???

Que projeto de Nação é este que não tem como diretriz a prioridade ABSOLUTA à proteção integral dos direitos da população infanto-juvenil? ?

Sugiro a vocês a leitura do boletim da rede GIFE distribuído exatamente na noite de ontem, que tem o seguinte título "CRIANÇA AINDA NÃO É PRIORIDADE".

O segundo parágrafo do texto de Rodrigo Zavala diz: "Disposta na Constituição Federal Brasileira, no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), e em uma série de convenções internacionais das quais o Brasil é signatário, a prioridade na defesa do público é LETRA MORTA sob o prisma das políticas públicas em favor da infância." http://www.gife.org.br/

A ONG Circo de Todo Mundo sempre orientou sua prática pelos princípios dispostos nestas legislações, principalmente, naquele que se refere ao artigo 7, da Declaração Universal dos Direitos da Criança da ONU, que afirma: "...TODA CRIANÇA TERÁ DIREITO A BRINCAR E DIVERTIR-SE, CABENDO À SOCIEDADE E ÀS AUTORIDADES PÚBLICAS GARANTIR A ELA O EXERCÍCIO PLENO DESSE DIREITO".

Na apresentação da publicação "Em Busca da Infância Perdida – a experiência do projeto de Erradicação do trabalho infantil e proteção do adolescente no trabalho doméstico em Belo Horizonte 2002-2003", do Circo de todo Mundo e da Organização Internacional do Trabalho, através do Programa Internacional para a Erradicação do Trabalho Infantil (IPEC), de 2004, a fundadora e coordenadora- geral da instituição, Maria Eneide Teixeira, escreve:

"No cotidiano de minha vida, descobri que as crianças e adolescentes, ricos ou pobres, compartilham desejos e necessidades universais. E todos – meninos e meninas – têm o direito básico de crescer preservando a infância como etapa fundamental de suas vidas. Este é o princípio que rege a ONG Circo de Todo Mundo, desde a sua criação. Temos uma trajetória de solidariedade, de escuta e de vivência que foi indicada pelas próprias crianças com as quais nos envolvemos. Nossa história é o maior testemunho de nosso compromisso com as causas da infância brasileira". .

De vocês, caros colaboradores e leitores desse desabafo, aguardamos mensagens de apoio e repúdio à descisão anti-democrática e brutal do governo Aécio Neves, que apenas aguardou o seu candidato Márcio Lacerda assumir o posto de novo prefeito da cidade, para empreender tamanha violência não só contra a uma instituição, mas PRINCIPALMENTE, contra crianças e adolescentes desfavorecidos da nossa cidade, do nosso país.

Que sejamos ao menos solidários a elas, as crianças, que são o futuro e também o presente.

Agradeço a atenção.

Christiane Sampaio
chris.sampaio@childrensworld.org

Pedra de tropeço

OK, o Lacerda está eleito. Mas a obrigação do blog continua acesa.

Está na hora de cobrar as promessas de campanha dele e do Pimentécio.

O Pedreira na Vidraça e seus colaboradores vão ficar no encalço do prefeito eleito por 60% de Beagá. Lembremo-nos que ele irá governar para 100% da cidade. Apenas começamos.

E a quem faz clipping do nosso blog, muchas gracias. Fiquem à vontade para copiarem o nosso conteúdo, desde que citando a fonte - e, claro, sem querer pisar nos nossos pescoços.

Eleições no Brasil

Click na imagem para ver o mapa ampliado:

E vence o Lacerda...

Seguindo a tendência das pesquisas de intenção de voto, Lacerda conseguiu vencer as eleições para a prefeitura de Belo Horizonte com 59,12% dos votos válidos. A campanha milionária do candidato dito socialista conseguiu seduzir o eleitor nas últimas semanas. A imposição feita pela aliança pimentécio surtiu efeito. Vamos ter que aturar mais quatro anos de um governo que não respeita a diversidade de opiniões e que cerceia a liberdade de imprensa. Só espero que o Lacerda consiga ter a mesma eficiência tida pelos últimos governantes apoiados pelo PT.

Como dito anteriormente, a vitória da aliança pode representar uma futura coligação entre Aécio Neves e Pimentel nas eleições de 2010, com o petista sendo candidato a governador, e o tucano, a presidente. Um dos grandes perdedores nessas eleições foi o Patrus, que poderia viabilizar sua candidatura para governador com o apoio de um PMDB fortalecido.

Votos: 1.457.208
Votos válidos: 1.297.892
Votos nulos: 107.981
Votos brancos: 51.335
Márcio Lacerda (PT / PSB / PTB / PP / PR / PV / PMN / PSC / PSL / PTN / PTC / PRP): 767.33259,12 - 59,12%
Leonardo Quintão (PHS / PMDB): 530.56040,88 - 40,88%

Infelizmente a campanha que representa a elite financeira venceu. Não podemos culpar a população de BH, visto que as outras opções não eram satisfatórias. Pelo menos a cidadão demonstrou a sua insatisfação ao colocar o Leonardo Quintão no segundo turno e ter votado expressivamente em branco e nulo no primeiro turno.

Domingo que deve ser esquecido... Mas não vamos nos esquecer nunca do que está sendo feito em BH.

Já que o pseudo-caipira não conseguiu tirar a prefeitura do poste, vou colocar uma tirinha para tentar melhorar o nosso Domingo. (Click na imagem)


Fim das eleições em BH - Lacerda é eleito


Pois é. O Lacerda foi eleito. Mas o filme de Fernando Pimentel está queimado em BH. Se ele pretende se candidatar ao Governo de Minas, pode preparar o lombo, porque ele vai ralar.

Fernando Pimentel traiu a confiança da cúpula petista. Há quem não goste do partido, mas a cidade caminhou bem sob a gestão do futuro ex-prefeito. Eu votei em Pimentel por causa do Vila Viva, e digo que é um grande projeto. Mas agora, digo que não mais voto em um candidato apoiado por ele. Já basta ter que agüentar um poste goela abaixo. Chega.

Márcio Lacerda toma posse em 1º de janeiro de 2008. Que lástima para Beagá.

Fim do segundo turno. E da lei seca.

Já são 17h. O movimento esteve tranqüilo na minha seção de votação. Sem filas – só alguns fiscais do Márcio Lacerda na porta. Fiscalizando o quê, o meu voto?

Ironias à parte, o resultado deve sair em mais ou menos duas horas. Daqui a pouco vocês ficam sabendo quem é o novo prefeito de Beagá. Saindo o resultado, a gente aqui faz um comentário dos novos ventos.

E como diz um grande amigo meu, Pisou na merda? Abre os dedos! Vamo ali tomá uma?

Aecinho


Lendo a Folha Online hoje, ví alguns comentários do coronel Aécio Neves já argumentando sobre a possível vitória ou a possível derrota.
Leiam as frases do sempre "político" Aécio Neves:

"Não sou Deus, não. Nosso candidato teve 43% dos votos no primeiro turno, mais do que qualquer candidato em qualquer capital do Sudeste, que apresenta as maiores cidades, e se ganharmos agora será a vitória de uma tese", afirmou o tucano ao ser questionado sobre as críticas que recebeu pelo fato de Lacerda não ter sido eleito no primeiro turno.

"Eu acho que o Marcio acertou mais no segundo turno a partir do momento em que pôde apresentar com maior tempo as suas propostas", afirmou.

"Eu continuarei, independente do resultado, com essa pregação: que o Brasil precisa viver uma convergência maior. O Brasil não pode ser refém eternamente desse maniqueísmo que coloca num extremo do espectro político o PSDB e no outro o PT, cada um buscando os seus aliados e se enfrentando por uma busca exclusivamente do poder", afirmou.

Alianças para 2010


As eleições de hoje serão decisivas para as de 2010. Dependendo dos resultados nas capitais, as alianças e os projetos para as próximas eleições presidências poderão ser totalmente diferentes.

Em São Paulo, uma vitória do Kassab vai representar uma vitória do José Serra em relação ao Alckmin e ao Aécio, grandes rivais ao posto de candidato à presidência. Kassab poderá definitivamente legitimar o nome do Serra como o candidato escolhido pela cidade para a disputa interna no PSDB. Uma vitória da Marta poderia enfraquecer o governador de São Paulo, e, como conseqüência, aumentar o espaço do Aécio ou do Alckmin. Por outro lado, uma vitória do DEM nas eleições paulistas poderá ser um golpe para as pretensões do Lula em alavancar uma candidatura do PT tendo o respaldo da cidade.


Em Minas Gerais, caso o Quintão vença, uma possível aliança proposta pelo Aécio com o PT para as eleições de 2010, com o seu nome para o cargo de presidente, seria prejudicada. Só das eleições terem ido para o segundo, já deu para mostrar como uma aliança desse tipo pode ser mal vista nacionalmente. O próprio PT nacional não viu com bons olhos o que foi feito em Minas. Para o presidente Lula, uma vitória do PMDB não o prejudicaria muito, já que o partido provavelmente irá ser um forte aliado do presidente em 2010.


Para o cargo de governador do Estado de Minas Gerais, provavelmente será lançada uma aliança PT-PSDB, lançando Fernando Pimentel ao cargo. Porém, uma vitória do PMDB na cidade poderá trazer grandes novidades. Uma possível candidatura do Patrus Ananias pode ser viabilizada, uma vez que ele está apoiando informalmente o Quintão nessas eleições. O PT poderá deixar o PSDB de lado e firmar uma aliança com o PMDB seguindo uma tendência nacional. Outro candidato que pode ser lançado por essa união é o Hélio Costa, que tem grande força com o presidente Lula. Não podemos ignorar também a possível candidatura do Newton Cardoso ou Itamar Franco, que são grandes caciques peemedebistas.

Dez motivos para anular o voto em BH dia 26

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR

A quem já decidiu em quem votar, boa eleição. Eu vou estar anulando. Bom voto!


Inspirado no Serjão.

Genti cuidanu de genti

O mais novo hit da internet. Com vocês, o ator.
Não o Quintão, o Tom Cavalcanti!



E na esteira desse...

Batalha campal

Os recalcados que me perdoem, mas um "PUTA QUE PARIU!" é fundamental. Ainda mais neste momento.

Hoje é quarta-feira, 22 de outubro. Faltam quatro dias para as eleições municipais beagazenses e o bicho está pegando na cidade da Lagoa da Pampulha. Está se travando uma verdadeira batalha campal entre Leonardo Quintão (PMDB) e Márcio Lacerda (PSB). O coronézinho e o poste estão se batendo forte - calma, Beth, assim você me machuca.


Na segunda da semana passada, Quintão pediu proteção à Polícia Militar após se dizer ameaçado na saída de um debate por apoiadores de Lacerda e acabou registrando queixa na delegacia da Polícia Civil.

Na sexta, o peemedebista reforçou o pedido, desta vez à Polícia Federal. Não demorou para que Lacerda desse o troco: também foi à PF pedir uma investigação sobre a veracidade da ameaça propalada pelo rival.

No fim de semana, a vítima foi Lacerda. O site do candidato de Aécio e Pimentel foi invadido por hackers, que colocaram um link para um "blog anti-Lacerda". A página oficial esteve fora do ar durante todo o domingo, o que fez a coligação registrar uma queixa na Delegacia Especializada de Repressão ao Crime Informático.


O Quindão saiu do armário, e partiu pra luta agora:


O mensalão se transformou nesta terça-feira na principal arma da campanha de Leonardo Quintão (PMDB) na disputa contra Marcio Lacerda (PSB) pela Prefeitura de Belo Horizonte. O peemedebista, pela primeira vez na eleição, decidiu partir para o ataque e acusou o adversário explicitamente de estar envolvido com o esquema de compra de deputados federais e pagamento de dívida de campanha com recursos públicos.
Lacerda, que nega qualquer participação no mensalão, classificou a conduta "demonstração de desespero". Ele anunciou que vai processar Quintão.

Hoje, Leonardo Quintão comparou Lacerda a um "avião do tráfico de drogas", dizendo que o adversário fez "contato com o crime" ao procurar o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares para saldar dívida de campanha de Ciro Gomes (PSB).

Deputados estaduais do PMDB que têm assessorado Quintão no segundo turno
 incentivam a posição mais agressiva, defendo [sic] reação aos ataques da campanha de Lacerda. O peemedebista também acusou o adversário de "arapongagem" e de "roubar" vídeo de convenção do PMDB em que Quintão diz que vai "chutar a bunda" dos adversários. Há duas semanas o vídeo é usado pela campanha de Lacerda.

A equipe de Quintão estuda ainda colocar nas inserções de rádio e televisão imagens do empresário Marcos Valério dizendo ter relações pessoais com Lacerda bem como ter repassado dinheiro a políticos hoje envolvidos na campanha do socialista. Já estão sendo distribuídos mais de 300 mil panfletos com a foto de Lacerda no centro de um "organograma" do esquema do mensalão.

"A questão do mensalão não está resolvida. Muitos não foram indiciados [pela CPI dos Correios] e estão sendo processados pela Justiça. Delúbio Soares veio a BH apoiar a candidatura de Marcio Lacerda, Virgílio Guimarães [coordenador da campanha de Lacerda] apresentou Marcos Valério em Brasília e Duda Mendonça, agora, está fazendo o marketing do meu adversário. O senhor está muito mal acompanhado", atacou Quintão, em debate marcado por pesadas acusações entre os dois candidatos.


Bom, esperemos o desfecho dessa luta no dia 26. Não tem nada definido, pelo visto... Vai espirrar muito sangue ainda.

EM TEMPO: Hoje tem debate na Tevê Alterosa - às 22h30, após Pantanal. E sexta, o debate é na Rede Glóbulo, logo após a novela A Favorita. Haja gel para este ringue!

Questão de opinião

Uma coisa curiosa, que li no site do DATAFOLHA:

Sobre o momento em decidiram seu voto no primeiro turno, metade dos eleitores belorizontinos (50%) disseram ter decidido pelo menos um mês antes da eleição. Já 15% tomaram essa decisão 15 dias antes, assim como aqueles que decidiram no próprio dia da eleição. Os que decidiram na véspera da eleição são 10%, e 9% tomaram a decisão uma semana antes. Outras respostas somam 2%.


Será que o povo belorizontino já estava rejeitando o Pimentécio desde antes? Será que não? Eu, hein... Tá esquisito isso...

Diga-me com quem tu andas...

...e eu te direi quem és, afirma o velho, conhecido e sábio ditado popular. Em tempos de eleições, ele se aplica bem ao que eu vou falar abaixo.




A foto acima é de 2006 e flagra um trio da pesada fazendo campanha: Leonardo Quintão, o favorito para assumir a prefeitura de Belo Horizonte no dia 1º de janeiro, e os notórios ex-governadores Newton Cardoso e Anthony Garotinho.

Por que eles estão juntos? Quintão foi o coordenador em Minas Gerais da campanha de Garotinho como candidato a candidato à presidência pelo PMDB. Garotinho teve o apoio de Cardoso, hoje um dos mais animados cabos eleitorais de Quintão. A propósito, se confirmada mesmo a derrota do seu candidato, Aécio Neves já decidiu: no próximo domingo, 26, dará uma entrevista assumindo que perdeu a eleição e antecipando que nada terá a ver com a futura administração da capital.
(Fonte: Coluna Radar, de Lauro Jardim - VEJA, 20/10/2008)

Só para contextualizar: Newtão Cardoso é ex-governador de Minas, e era o responsável pela obra do Cardiominas - diga-se de passagem, o Ministério Público pediu o bloqueio de bens dele e de Hélio Garcia, outro figurão das Geraes.

Agora, observe a fala do nosso governador aspirante à Presidência:

"(...) se confirmada mesmo a derrota do seu candidato [Márcio Lacerda], Aécio Neves (...) dará uma entrevista assumindo que perdeu a eleição e antecipando que nada terá a ver com a futura administração da capital."

¿Que cosa, no? O Quintão, se ganhar, vai ter que se virar nos 30? O Aécio vai simplesmente sumir do mapa só porque o enteado dele não ganhou? Ô Aécio, ele num é seu amiguinho não? Vai dar o migué, é?

Tá parecendo aqueles meninos mimados que levam a bola pra jogar e, quando perdem, levam a bola pra casa no meio do jogo. Vê se isso é postura de político...

Falando em migué, vejamos o outro lado da curva de rio:

O nome do atual coordenador de campanha do Márcio Lacerda é Virgílio Guimarães. Uma figurinha carimbada quando o assunto é dissidência dentro do PT.

Em 1996, o então deputado estadual Virgílio Guimarães, em sua imensa vaidade de ocupar o cargo principal no executivo municipal, dividiu o PT mineiro e empreitou sua candidatura pela frente BH Popular contra a vontade do então prefeito Patrus Ananias que havia indicado para sua sucessão Célio de Castro, o que veio de fato ocorrer por dois mandatos.

Na chamada crise do mensalão, estava lá de novo o personagem Virgílio, que segundo consta, foi responsável por apresentar o “publicitário” Marcos Valério a Delúbio Soares e, ainda, ganhou a alcunha de lobista do execrado “publicitário”.

Oportunista como sempre, Virgílio Guimarães foi o pivô, mais uma vez, de um dissenso dentro do PT quando, à revelia de seu partido, lançou candidatura independente para disputar a Presidência da Câmara dos Deputados levando o candidato oficial do partido à derrota e, desta forma, possibilitando a eleição de Severino Cavalcanti, aquele do mensalinho.

Esta indisciplina teve por conseqüência, além da desastrosa eleição de Severino Cavalcanti, a fragilização da sustentação política do governo Lula na maior crise de seu primeiro mandato.

Ao inconfidente deputado, foi imposta pela direção nacional do partido um ano de suspensão das atividades partidárias pena esta, que considero ter sido branda diante da gravidade dos fatos. A primeira alternativa foi a expulsão, mas a proposta foi rejeitada na plenária.

No embate eleitoral deste ano em BH, Virgílio aparece, mais uma vez, como um dos protagonistas do golpe que parte do PT mineiro aplicou em seus eleitores e que, vendeu a legenda e o prestígio de seus dezesseis anos de administração da capital mineira para o PSDB de Aécio Neves.
(Fonte)

Recentemente, Virgílio foi pego na Operação Avalanche, que prendeu o publicitário Marcos Valério por causa do Mensalão. Por meio de gravações, veio à tona que esquema envolve também o grupo do deputado federal Virgílio Guimarães (PT-MG).

De um lado, um jeca não tão joia que tem apoio do Newtão, figura carimbadíssima em questão de corrupção em Minas. Do outro, o poste que recebeu apoio de Virgílio e de Duda Mendonça, o publicitário execrado pelos adversários de Lula, entre eles o PSDB de Aécio Neves, na CPI dos correios. É mole ou quer mais?


Agradecimentos a uma jornalista prima linea.

Troca de farpas

Como se ninguém estivesse percebendo, está ocorrendo uma "troca de farpas" entre os candidatos. Agora, sim, os dois candidatos estão apelando pra Deus e para o Capeta. O que observo é que o Leonardo Quntão (PMDB), até quarta-feira - ou quinta, não sei - estava na dele. Com aquele discurso jeca de "Ô gente, dá pra fazer" dele. Alguns vêem isso como baixaria - eu não tenho opinião formada.

No começo, era o Márcio Lacerda (PSB), com aquele vídeo do "vamos chutar a bunda deles"; dispenso apresentações, já está mais que falado e inflado na net. Não só esse da bunda, como a explicação do vídeo da bunda veiculada na propaganda do Márcio. Do outro lado, eis que o Quindão me aparece quase que com os olhos cheios d'água falando que tava recebendo ameaça de morte. Com aquele discurso choroso, de sempre. Só que sem o sotaque caipira.

Mas o que pega neste momento é mais a maquiagem que cada um tem para encarar/peitar o oponente. Tanto o choro quando o apadrinhamento, tudo pode contar para bem ou para mal. Óbvio.

Faltam seis dias para 0 pleito. Vamos ver como os candidatos se comportam nessa reta final. Eu, na verdade, ainda tenho quase certeza do meu voto nulo... (Para não ter nenhuma dor de cabeça nem arrependimento futuro. Ai, minha gastrite...)

Entre a merda e o cocô

Em quem votar? Onde se refugiar? Onde se esconder?


Tá certo. Este blog, desde o começo, polemizou a aliança por BH, que lançou o poste Márcio Lacerda à candidatura da prefeitura. Abomino, de qualquer maneira, a associação de PT com o PSDB - foi uma venda que causou prejuízo ao partido dos ''trabaiador". E a posição se mantém firme de não apoiar esse cara, que não tem ficha limpa.

Mas ficha suja a família do Leonardo Quintão também tem. Como diz a vó de um amigo meu, "prego que se destaca, leva martelada''. Foi só o Jeca ir para o segundo turno para aflorarem muitas denúncias contra ele. Enumeremos algumas, oriundas de e-mails não anônimos (apócrifo de c* é r***!), com algumas considerações minhas:

1. A liberdade de religião quase acabou. Os não evangélicos foram perseguidos pela administração Sebastião Quintão. Ele criou uma torre de vigilia dentro da prefeitura onde os fieis dele oravam 24 hs por dia, sendo um dia dedicado só a familia Xiita Quintão. Nesta campanha agora, Sebastião Quintão chegou a dizer que católico fede.
(Nada contra ele ser evangélico - já fui; a merda está em ser Crente Xiita - ô raça!)

2. Os servidores viveram sob ameaça durante esses quase 4 anos. Nunca receberam os representantes dos trabalhadores e os sindicalistas foram perseguidos e vigiados 24 hs por dia. O SIND-UTE só conseguiu se manter através de liminar da justiça. Os diretores SIND-UTE e sindicato dos servidores foram proibidos de entrarem nas escolas e repartições.

3. Todos os parentes dos Quintão foram parar dentro da administração e ao ser questionado o Quintão pai respondeu: "Se Deus colocou seu Filho para representá-lo na terra, porque eu não posso ter o meu no governo?" (vide este link). Os Quintão não acham que são Deus, têm certeza.
(Hum... No debate de terça, o Quintão rebateu, dizendo que Sebastião foi o primeiro prefeito a entrar com uma ação anti-nepotismo. Procurei, mas ainda não achei nada que não comprovasse a fala do Quintão filho.)

4. Superfaturamento ocorreu em todas as áreas. Mas não temos remédio nem médicos nas unidades de saúde. Os médicos que se opuseram às jogadas deles foram demitidos ou perseguidos até pedirem prá sair. Toneladas de remédios foram parar no lixão.O serviço de locação de veiculos para atender a prefeitura passou de 4,2 milhoões por ano incluido motorista e combustivel em 2004 para 13,9 milhões só com os carros. os motoristas e combustivel passaram a ser fornecidos pela prefeitura. A manutenção de nossos parques e jardins que até 2004 custavam 2,5 milhões por ano passaram a custar 12,8 milhões. Nossa cidade que foi exemplo de limpeza publica está fedida. Esses são apenas alguns exemplos.
(Reza a lenda que isso acontece pelo fato de os Quintão serem de uma denominação que prega a prosperidade. A qualquer custo.)

5. Nesses 4 anos, para uma cidade de 240 mil habitantes foram gastos aproximadamente 20 milhões em publicidade.Imaginem o quanto gastarão com BH? Eles só vendem imagem o tempo todo. Quem assistia na TV ou lia o material de propaganda achava que estava no paraiso e não sabia.
(Vender imagem? Espere um minuto: se o Lacerda for eleito, vai ter como jornalista trabalhar com liberdade aqui? Quem é que mais vende imagem em Minas, não é o Aécio? E quem tá com o Aécio? Não é o Lacerda???)

Estamos numa verdadeira escuridão sem lanterna. Sinuca de bico. Estou sentindo, ao mesmo tempo, um pisão no pescoço e um chute na bunda. Ê, laiá!


Num mato sem cachorro

Se antes eu estava em dúvida em quem votar no segundo turno, agora minha indecisão aumentou deveras. Sim, porque, depois do debate de ontem na Faculdade de Direito da UFMG, eu saí mais desconcertado que entrei.


O debate foi bem acalorado - vários militantes de ambos os candidatos, Leonardo Quintão (PMDB) e Márcio Lacerda (PSB) estiveram lá. Já nas considerações iniciais, podia-se ver como iam transcorrer os trabalhos.

Ao entrarem, Márcio e Leonardo receberam chuva de aplausos e vaias - sendo que o Quintão foi mais aplaudido que vaiado, e o Lacerda o contrário. Este pediu a seus apoiadores que não vaiassem o oponente. Mas o Jeca - que não é tão joia assim - retrucou: "Na política, tem vaias e aplausos. É bom me vaiarem sim! E me aplaudir também!"

(Ah, bom, pensei que era só pra vaiar... oO)

Discutiu-se educação, orçamento, movimentos sociais, favelas e moradores de rua. Em tom de acirramento e de forte tensão. Diga-se de passagem, o Quintão estava relativamente melhor; até que um aluno do Direito, o sr. Thomás Lafetá (eu o conheço desde a época de Colégio; o cara é sabidamente perspicaz) perguntou ao candidato sobre as denúncias de corrupção de seu amado pai, Sebastião Quintão, em Ipatinga (MG), chegando-se a confundir Estado com Igreja (a família Quintão é protestante). Exaltado, Leonardo afirmou que as contas do pai dele foram aprovadas, e que, naquela hora, era momento de discutir Beagá, não Ipatingatá. "Vamo discutir BH. E não mexe com meu pai não, que eu amo ele!", esbravejou, brabo. Mais ou menos o que fizeram com o Gustavo Valadares e seu pai, Ziza "ex-presidente do Atlético" Valadares.



(Segura que o Quintão vai chutar a bunda dele!)

Aí, o trem desandou. Márcio teve de responder sobre o fato de se filiar a um partido socialista (PSB) e ter fortuna de 55 mi de reais. Inteligentemente, rebateu, citando o Zequinha 80, vulgo José Alencar, que é vice do Lula. E completou: "Quem tem patrimônio pode militar num partido socialista!".

(Ah, é, Tio Patinhas?)

Daí pra frente, o debate transcorreu agitado. Agitação da platéia, vaia para o Quintão, vaia para o Lacerda... No final, o Lacerda se saiu melhor no debate que o Quintão. Por isso que estou em dúvida: pela primeira vez, creio que anularei meu voto numa eleição para o Executivo. (Já anulei pra Senador, quando Eliseu Resende e Newtão Cardoso concorreram; quem foi meu candidato? Senador Capeta! 666!)

Em quem votar: num mensaleiro ladrão ou num cara cuja família toca o terror no interior de Minas? Sinceramente, estou em dúvida cruel comigo mesmo.

Quero saber quando será o próximo debate. Para eu ficar cada vez mais em dúvida e, por via da dúvida, duvidar dos candidatos e votar nulo.

Lacerda vai para o tudo ou nada...


Uma pesquisa feita pelo instituto CP2/DataTempo e divulgada na última terça-feira colocou o candidato peemedebista Leonardo Quintão como vencedor do segundo turno das eleições com 64,89% dos votos válidos contra 35,11% obtidos pelo poste. Tal reação do eleitor de BH se deve, provavelmente, à rejeição que possui em relação ao candidato dito socialista Márcio Lacerda e à aliança feita pelos coronéis mineiros Aécio Neves e Pimentel.

Um dos reflexos desse crescimento arrebatador do Quintão é a enxurrada de ataques que tem recebido do rival. Lacerda, que está totalmente atordoado com as críticas relacionadas ao mensalão, agora está usando do mesma arma. Está tentando associar o Quintão à imagem do pai corrupto, da mesma forma em que seus rivais associaram a sua imagem ao mensalão.

Veja como a justça está coibindo os ataques feitos pelo Lacerda:


A Justiça Eleitoral proibiu nesta terça-feira o candidato a prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda (PSB) de retransmitir a propaganda que mostra seu adversário na disputa, Leonardo Quintão (PMDB), insultando adversários.

A propaganda, veiculada ontem na TV, mostrava imagens da convenção do PMDB realizada em junho em Ipatinga (MG), cidade onde o pai de Quintão, Sebastião Quintão (PMDB), disputava a reeleição.

(...)

Na decisão, o juiz Marcos Flávio Padula suspendeu a retransmissão da propaganda até o julgamento final do processo. Na representação, Quintão também pedia a perda do dobro ou o mesmo tempo utilizado na propaganda, o que ainda não foi avaliado pelo juiz.

Padula ressaltou em sua decisão que as imagens do comercial são gravações externas, o que é proibido por lei. "Vale ressaltar também que estamos a menos de duas semanas do segundo turno e que qualquer propaganda irregular deve ser coibida com ainda mais rapidez, sob pena de desequilibrar o pleito que se avizinha", afirmou.
(Folha)

A Justiça Eleitoral em Belo Horizonte determinou a retirada de panfletos com propaganda considerada difamatória contra o candidato Leonardo Quintão (PMDB). O material, que estava sendo distribuído em bairros da capital, dizia "Fora Sebastião e Leonardo Quintão, Aqui Não", em referência ao peemedebista e ao seu pai, prefeito de Ipatinga (MG).

(...)

Nesta segunda-feira, o juiz Adriano de Mesquita Carneiro deferiu parcialmente a liminar, alegando que o material denegria a imagem do candidato "ao criar, artificialmente, na opinião pública, estados mentais e passionais, em relação ao candidato Quintão". O juiz determinou a busca e a apreensão de todos os panfletos e proibiu a distribuição do material que estiver impresso.
(FOLHA)

Baixou o nível

Essas eleições aqui de Beagá estão é uma piada. Isso sim.

Antes de eu me dirigir ao debate de hoje, queria deixar registrado para quem não viu. Ontem, assistindo à BAND e aguardando o início do CQC, começaram a passar as propagandas políticas dos dois candidatos à prefeitura de Belo Horizonte. A do Quintão tá no mesmo nível que antes: apelando para a emotividade, para a sensibilização do eleitor etc.

Já a do Lacerda... Bom, veja você mesmo.


Digo uma coisa: a trupe do Lacerda baixou o nível. E o povo não gosta de baixo nível. O Lula baixou o nível da sua campanha em 94 e 98 - logo, não foi eleito. Tá, tudo bem que tem outras coisas por trás, como descontentamento com oito anos de FHC, mas reparem: todo mundo que partiu pra agressão, viu seu fim rapidão.

Primeiro debate do 2º Turno das Eleições de BH

UPDATE


Pessoal,

O primeiro debate eleitoral do segundo turno em Belo Horizonte acontecerá no dia 14 de outubro, no auditório da Faculdade de Direito da UFMG (Av. João Pinheiro, 100 - Centro). Os dois candidatos, a saber, Márcio Lacerda e Leonardo Quintão, confirmaram presença. O debate é promovido e organizado pelo Centro Acadêmico Afonso Pena da Faculdade.

Os organizadores do debate sugerem que vocês, estimados leitores deste blog, enviem suas perguntas aos candidatos até o dia 13 de outubro, pelo e-mail caapufmg@yahoo.com.br. Sua pergunta poderá ser feita aos candidatos por você, no microfone, ou lida pelo mediador. Por isso, é necessário colocar nome e telefone de contato no e-mail com a pergunta.

Até lá!

Provavelmente o presidente Lula não vai participar das eleições em BH.


Dificilmente o presidente Lula vai participar das eleições do segundo turno em BH. Visando manter o comando do governo nas mãos do PT após a sua gestão, o presidente vai manter neutralidade em diversas cidades onde existem disputas entre aliados.O seu apoio, a exemplo do que aconteceu em diversas cidades do nordeste, poderia ser decisivo nas eleições da nossa cidade.

Durante jantar com integrantes do PMDB nesta quarta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que não pretende participar de campanhas eleitorais em municípios onde candidatos da base aliada governista se enfrentam no segundo turno.

Lula sinalizou que vai acatar pedido da cúpula do PMDB para manter-se neutro nas disputas entre aliados, especialmente em Belo Horizonte (MG), Salvador (BA) e Porto Alegre (RS).

A Folha Online apurou que Lula não quer desgastar sua relação com o PMDB nos dois últimos anos de mandato. Além dos peemedebistas reunirem as maiores bancadas na Câmara e no Senado, Lula quer estreitar a relação com o PMDB já com vistas à disputa presidencial de 2010. O petista não descarta uma eventual chapa com o partido na corrida pelo Palácio do Planalto.

Em Belo Horizonte, a eleição coloca em palanques adversários os candidatos Márcio Lacerda (PSB) e Leonardo Quintão (PMDB). Lacerda tem apoio do governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), e do prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), além do PSB. Já Quintão foi lançado por Costa e tem apoio incondicional do PMDB.

O candidato peemedebista disse nesta quarta-feira que o presidente Lula prometeu manter-se neutro na disputa, uma vez que Lacerda integra um partido da base aliada do governo federal. Quintão vai tentar atrair o vice-presidente José Alencar (PR) para a sua campanha, assim como o PC do B e o PDT. (FOLHA)

Apoio do PC do B à candidatura do Quintão


Mesmo sendo um aliado histórico do PT, o PC do B, irá, provavelmente, apoiar o candidato Leonardo Quintão no segundo turno das eleições para prefeito de Belo Horizonte, é o que afirma a reportagem da Folha Online.

O diretório municipal do PC do B é unânime em declarar apoio a Leonardo Quintão (PMDB). Em votação, o placar foi de 22 a 0. Já a direção nacional quer ao menos uma neutralidade para não afetar as relações do chamado "bloquinho" no Congresso, que dá sustentação ao governo Lula.

"Há uma relação privilegiada com o PSB, que é um parceiro muito leal. Mas é preciso respeitar a dinâmica política local. A eleição acabou sendo polarizada com Marcio Lacerda. Mesmo a direção nacional entendeu isso. Por isso, não existe a possibilidade desse alinhamento", disse Jô Moraes, referindo-se aos ataques trocados com o candidato do governador Aécio Neves (PSDB) e do prefeito Fernando Pimentel (PT).

Nos bastidores do PC do B, a tendência é de apoio a Leonardo Quintão. A decisão deve ser anunciada hoje à tarde.

O PC do B também espera que o PRB do vice-presidente José Alencar apóie Quintão. Tanto o peemedebista quanto Lacerda estiveram com Alencar tentando o apoio dele, que, no entanto, deve ficar neutro.


Outro candidato que declarou apoio ao Quintão foi o Jorge Periquito, do PRTB. Ele conseguiu obter 4.769 votos e quer participar ativamente da campanha do peemedebista.

Uma grande lambança foi criada em BH pelo PT. Se o partido tivesse lançado um candidato próprio, com um histórico político de luta em favor das camadas populares e de honestidade, provavelmente teria vencido as eleições já no primeiro turno. Agora vamos ter que engolir um segundo turno entre um poste do Aécio Neves e um candidato populista, com um discurso carregado de sofismas e com algumas propostas claramente feitas para atrair o eleitor, que dificilmente serão cumpridas.

Debate nos EUA


Hoje, um dia após o debate entre os presidenciáveis americanos, foi divulgada uma pesquisa sobre a intenção de voto nos EUA. O resultado representa um recorde nessas eleições. Obama conseguiu uma margem de 11 pontos percentuais sobre McCain. Ele ficou com 52% das intenções de voto contra 41% do seu rival, de acordo com a pesquisa Gallup, que foi realizada entre 5 e 7 de Outubro, com 2747 eleitores. A tendência é que a distância fique maior, tendo como base o seu grande desempenho no debate.

Como não tive a oportunidade de assistir ao debate, vou deixar um resumo feito pela Folha e pelo Portal Vermelho:

Obama foi o primeiro a falar e reiterou suas críticas às "políticas falidas de Bush", como a desregulamentação de Wall Street. Já McCain reiterou suas propostas para a crise, como o financiamento de compra de hipotecas de baixa liquidez, e rebateu o ataque, falando pausadamente e sempre se dirigindo diretamente aos eleitores, que estavam sentados no palco e fizeram perguntas aos candidatos.

Para o democrata, a crise ainda deve piorar antes do problema ser resolvido. Mas McCain rebateu afirmando que isso depende de como o problema seria resolvido. O democrata defendeu o corte de impostos e o republicano o corte de gastos do governo.

"Estamos na pior crise financeira desde a Grande Depressão, todos vocês se preocupam com suas contas, suas aposentadorias. E isso é fruto das políticas falidas de Bush que disse que nós podíamos acabar com a supervisão [do sistema financeiro] e que iríamos prosperar", disse Obama, em resposta à primeira pergunta da noite, feita por um dos 80 eleitores indecisos escolhidos para o evento.

"Agora precisamos de um plano de resgate que começou com a aprovação do pacote bilionário nesta semana. Mas nós precisamos de supervisão e de garantia de que os contribuintes terão seu dinheiro de volta", continuou Obama, sobre o plano aprovado pelo governo que prevê a injeção de US$ 700 bilhões para a compra de títulos podres.

O democrata reiterou seu apoio à classe média. "A classe média precisa de um pacote financeiro que envolva corte de impostos, ajuda a proprietários de casas e projetos que os mantenham em seus empregos", listou o senador.

Em sua vez, McCain afirmou que os "americanos estão irritados e temerosos" com a crise. "Eu tenho um plano que envolve energia. Precisamos parar de enviar dinheiro a países que são nossos inimigos, precisamos cortar impostos, precisamos de um pacote de reformas que leve à prosperidade er paz no mundo", disse.

O republicano rebateu à comparação de Obama e afirmou que suas propostas não são as políticas de "Bush ou de Obama", "mas vão ajudar a salvar o país da crise".

"Este problema ficou tão grave que precisaremos agir para ajudar os donos de casas que não têm mais dinheiro para pagar hipoteca. Eu, como presidente, exigirei que o Tesouro compre as hipotecas sem liquidez e ajude as pessoas", disse o republicano.

"Isso é caro? Sim, mas se não fizermos isso, não conseguiremos prosperar e colocar as pessoas de volta aos empregos", continuou.
(FOLHA)

Segundo o diário mexicano La Jornada, foi notável "a sensação de que os debatedores apenas repetiam suas respostas ensaiadas horas a fio, enquanto Roma ardia, em meio ao alvoroço criado pelos bombeiros do sistema financeiro internacional, que faziam soar todos os alarmes sobre o que se perfila como uma enorme recessão global". (VERMELHO)

Nada de América Latina

Durante a segunda parte do debate as perguntas foram centradas na política externa americana. Como fez em ocasiões anteriores, Obama questionou o apoio de McCain à invasão no Iraque e reiterou que os recursos gastos nessa guerra, cerca de US$ 700 bilhões, são agora necessários para serem investidos no "resgate" do sistema financeiro.

Nesse segundo tempo do debate, mais uma vez, a América Latina não existiu. Foram abordados assuntos sobre a Ásia, o Oriente Médio, a África e a Rússia, mas houve somente uma pequena alusão à Venezuela, feita por Obama, em relação à dependência petrolífera em relação a "regimes não amigos".

O tema principal girou ao redor da intervenção americana no mundo. McCain enfatizou sua grande experiência em determinar quando e onde o país intervirá militarmente e afirmou que "os Estados Unidos são a maior força do bem na história do planeta... somos os pacificadores e os mantenedores da paz". Voltou ao ataque, apontado a Obama e declarando que "sobre assuntos militares, ele não entende nada".

Obama respondeu de forma incisiva, segundo o diário americano La Opinión. "É certo que não entendo certas coisas. Não entendo como invadimos um país que não teve nada a ver com o 11 de Setembro, enquanto a al-Qaida continua criando bases no Afeganistão e Paquistão", reiterando que a política externa republicana, de Bush e McCain, foi um rotundo fracasso.

McCain voltou à carga afirmando que "sob Obama, nossas tropas regressarão do Iraque derrotadas. Eu as trarei de volta com a vitória e com a honra", recordando em seguida por vários momentos que seus heróis são Ronald Reagan e Teddy Roosevelt, que tinham como lema o "fale baixo e meta o porrete".

O debate foi concluído com as "mensagens de sempre", segundo o La Jornada. Obama afirmando que a grande pergunta é se vão conseguir recuperar o sonho americano para a próxima geração, "o que, para isso, é preciso uma mudança fundamental", enquanto McCain retornou ao seu mantra "dediquei minha vida inteira a esse país", lembrando também de sua carreira militar, sua experiência e a necessidade de uma "mão firme" no timão do país em tempos difíceis.

Em uma análise das pesquisas realizadas pouco antes do debate, a agência AP calcula que Obama tinha a seu lado ou inclinando-se para ele pelo menos 21 estados, que juntos representam 264 votos no Colégio Eleitoral, enquanto McCain tem 23 estados, mas que representam somente 185 votos (proporcionais aos habitantes de cada um).

Segundo esta análise, isso significa que há somente seis estados com um total de 89 votos que ainda estão indefinidos. Obama precisa de apenas qualquer um deles, ou seis votos a mais, para alcançar ou superar os 270 que representarão o triunfo no Colégio Eleitoral. (VERMELHO)

Serra sanciona lei que cria cadastro para bloquear ligações de telemarketing

O governador José Serra (PSDB) sancionou nesta terça-feira a lei 13.226, que cria o cadastro para bloqueio do recebimento de ligações de telemarketing no Estado de São Paulo. Com a nova medida, quem não deseja receber ligações de empresas de telemarketing ou de estabelecimentos que se utilizem deste serviço deve se cadastrar. Serão beneficiados usuários de telefonia fixa e celular, com DDD do Estado. (FOLHA)

Apesar da grande disputa entre José Serra e Aécio Neves em busca de uma das vagas do PSDB para a candidatura à presidência da república, nosso estimado governador poderia aderir à idéia do carequinha. Iria ser a única medida unânime do mineiro em seu governo. Ele não ia precisar nem de comprar a imprensa para que a notícia se espalhasse de forma positiva.

Homer tenta, mas a máquina...

É dia de eleiçao e Homer Simpson vai votar. Seu candidato é Barack Obama, mas algo estranho acontece com a máquina...

Quintão X Lacerda (parte 2)

O candidato à Prefeitura de BH, Leonardo Quintão, afirma que não é populista e alfineta Marcio Lacerda: “Ele não é nada”

O candidato à Prefeitura de Belo Horizonte, Leonardo Quintão (PMDB), disse neste domingo (5) que não admitirá ter a sua candidatura considerada de “direita”. “Sou um candidato popular, não populista”, definiu. O peemedebista foi para o segundo turno do pleito, como já havia previsto o Novojornal durante a semana.

Quintão fez críticas ao candidato Marcio Lacerda (PSB). “O candidato Lacerda não é nada. Ele não participou de nada, ficou em reuniões de campanha e em gravações de programas eleitorais. Ele fala que fez 150 reuniões. Eu fiz 639 reuniões com a população. A diferença é essa. Cabe ao eleitor decidir. E o eleitor já decidiu pela candidatura popular. Mas eu respeito ele, porque tem pouca experiência política", declarou.

Quintão ressaltou que pretende atrair o apoio de Jô Moraes (PCdoB) neste segundo turno: "Vamos conversar com o PCdoB, certamente. Não há ainda nenhum acordo. Temos uma amizade. A Jô foi vereadora comigo, deputada estadual, deputada federal. Nós vamos conversar com a Jô".


Pois bem. Após a divulgação dos resultados das eleições municipais de Belo Horizonte, é hora de correr atrás dos apoios para o segundo turno. Em conversas informais, fiquei sabendo que, se Jô fosse pro segundo round, Quintão a apoiaria - e vice-versa. Mas, em entrevista dada à Rádio Itatiaia ontem à noite, Jô, ao saber que não estaria no segundo turno, disse que a hora agora é de conversar...

"Pode acontecer tudo. Inclusive nada."
Essa foi a frase que Jô Moraes utilizou. Ela se reunirá com a executiva do PCdoB e lideranças do PT e do PMDB. Em consonância com o que ela defendeu até agora, é melhor que ela apóie o PMDB. Ou que se ausente. Porque, se no andar da carruagem a Jô apoiar o Lacerda, eu paro imediatamente de apoiar toda e qualquer atitude da comunista!

E quem achava que seria fácil...

É, parece que o bicho pegou pro candidato da aliança. Nem o mais otimista dos peemedebistas previa uma vantagem tão apertada de Lacerda sobre Quintão, quase um empate técnico. E agora três fatores importantíssimos entram em cena: a igualdade entre os tempos de propaganda televisiva no segundo turno, o apoio que o candidato do PMDB deve receber de Jô Moraes e Sérgio Miranda (que somados tiveram quase 12% dos votos totais desse primeiro turno) e a enorme rejeição que o afilhado de Aécio adquiriu nessa reta final de campanha.

O que parecia fácil ficou difícil, e o debate promete esquentar.

Eleições nos EUA

Dados sobre as eleições americanas para presidente, de acordo com o site RCP:

Polling Data

PollDate Sample Obama (D)McCain (R)Spread
RCP Average09/26 - 10/03 -- 49.3 43.4 Obama +5.9
Gallup Tracking10/01 - 10/03 2703 RV 50 42
Obama +8
Rasmussen Tracking10/01 - 10/03 3000 LV 51 45 Obama +6
Hotline/FD Tracking10/01 - 10/03 915 LV 48 41 Obama +7
GW/Battleground Tracking09/29 - 10/02 800 LV 49 46 Obama +3
Marist09/28 - 09/30 943 LV 49 44 Obama +5
CBS News09/27 - 09/30 769 LV 50 41 Obama +9
Associated Press/GfK09/27 - 09/30 808 LV 48 41 Obama +7
ABC News/Wash Post09/27 - 09/29 916 LV 50 46 Obama +4
Pew Research09/27 - 09/29 1181 LV 49 43 Obama +6
Ipsos/McClatchy09/26 - 09/29 1007 RV 48 45 Obama +3
Time09/26 - 09/29 1133 LV 50 43 Obama +7

See All General Election: McCain vs. Obama Polling Data




Faltam um mês para as eleições americanas e John McCain está há 5.9 pontos de Obama nas pesquisas. O site internet RealClearPolitics fez uma média de várias pesquisas do país e chegou a esse número.

Como dito anteriormente, não acredito que o Obama seja o candidato ideal para a presidência americana, contudo, pelo menos em suas campanhas, está defendendo um governo com preocupações sociais maiores, com integração cultural, reconhecimento da importância dos imigrantes, respeito às diferenças, preocupação ambiental.

O John McCain é extremamente preconceituoso, homofóbico, capitalista. Representa um futuro governo de continuidade. Vai manter as tropas americanas no Iraque e continuar a perseguir os países taxados como do eixo do mal.

Apesar de possuir ideias bem conservadoras, como a possibilidade de invadir o Paquistão caso haja comprovação da presença do Osama Bin Laden no território e o uso do boicote econômico à Cuba como arma política, Obama pode representar uma alternativa à política ofensiva americana praticada nos últimos governo republicanos.

Já começaram as campanhas para as eleições de 2010

Aécio Neves manobrou em duas frentes: em Minas Gerais, para lançar o esboço daquilo que chama de Pós-Lula; fora de Minas, para sabotar as pretensões presidenciais de seu colega tucano José Serra. Tão empenhado, não hesitou em adotar políticas diferentes para o seu partido. Dentro do Estado, abandonou o PSDB à própria sorte, alienou os parceiros tucanos no cenário nacional e namorou o maior rival. Em Belo Horizonte, 12 siglas integram a coalizão aecista (inclusive o PT), mas não o DEM --o "poste" Márcio Lacerda (PSB) poderá se eleger no domingo. Em outras grandes cidades (Betim, Uberlândia, Montes Claros, Santa Luzia, Ipatinga, Ribeirão das Neves), o PSDB não está nem no páreo --PMDB e PT deverão colher mais vitórias. Fora do Estado, o governador fez o que pôde para agradar os caciques tucanos, de Tasso Jereissati a Geraldo Alckmin, desde que antipáticos ao serrismo. O prefeito Fernando Pimentel comprou briga dentro do PT ao bancar o pacto com Aécio na capital, mas fortaleceu-se para o governo em 2010 --se os petistas negarem legenda, sempre haverá o PSB para chamar de seu. (MELCHIADES FILHO - diretor-executivo da Folha de S.Paulo, em Brasília)

Pelo visto, vamos ter que aturar a aliança Pimentécio por muito tempo...

O Irã no Conselho de Segurança da ONU?

O presidente da Assembléia Geral da ONU, o nicaragüense Miguel D'Decoto, defendeu nesta sexta-feira o direito do Irã de pleitear um posto no Conselho de Segurança, apesar de Teerã ser alvo de sanções por parte da organização multilateral.

(...)

O Irã concorre com o Japão pelo posto asiático no Conselho de Segurança que a Indonésia deixará vago no ano que vem.
O Conselho de Segurança possui, atualmente, cinco membros permanentes, com poder de veto. São eles Reino Unido, China, França, Rússia e Estados Unidos --todos considerados os vencedores da Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Dez membros não-permanentes são eleitos regionalmente para um período de dois anos. O conselho tem crescido desde que a ONU foi criada, em 1945. (Folha)

Porque tentar impedir o Irã de participar do Conselho de Segurança?

O Reino Unido, que matou milhares de pessoas em suas incursões colonialistas na África e na Ásia; A China, que não respeita os direitos humanos em seu território; a França, que foi sanguinária no período napoleônico e discrimina imigrantes em suas leis; A Rússia, que intervém militarmente até hoje nos países da ex-URSS; e os EUA, que torturam presos em Guantánamo; são membros do CS.

Qual é o principal motivo para que o Irã seja proibido de utilizar um Direito legítimo que possui? Afirmam que a República Islâmica está desenvolvendo um projeto nuclear visando construir armas de destruição em massa. O problema é que não possuem provas concretas. Não existe crime sem que o agente tenha praticado a ação ou a omissão tipificada em lei. O país não produziu armas até hoje. Não existem nem indícios que comprovam a fabricação de artefatos nucleares na região.


A maior preocupação americana ao tentar derrubar o Irã politicamente é de aumentar a influencia que tem no Oriente Médio. Tal região é muito estratégica para os EUA, haja vista a grande quantidade de petróleo que possui. Desde a queda do ditador Xá Reza Pahlevi, o Irã passou a praticar uma política contrária à influencia americana local. Com a derrubada do regime de Saddam Hussein, a força iraniana aumentou ainda mais, uma vez que perdeu um concorrente à altura. O grande medo americano é que com o Iraque decadente, o Irã consiga aumentar a influência xiita nesse país, fazendo com que tenha mais um forte aliado na região. Outra preocupação americana é com o fato de o Irã estar conseguindo dominar a tecnologia nuclear. Tal energia é considerada por especialistas como a energia mais rentável do futuro.

Fimose não é doença do trabalho


O Blog é sobre política, mas recomendo a leitura deste artigo publicado no "Jus Navigandi". É muito engraçado.

Um trabalhador ajuizou reclamação contra a empresa de logística da qual foi demitido, requerendo, além de diferenças salariais, uma indenização em virtude de doença supostamente adquirida no trabalho.

Nada de mais, se a doença em questão não fosse fimose.

Para colocar o ex-empregador no pau, o reclamante alegou que o seu trabalho teria agravado a fimose e causado problemas nos joelhos. Disse que trabalhava como conferente de mercadorias, carregando objetos pesados. Em razão de se encontrar impossibilitado de retornar ao trabalho, pediu indenização de R$ 3.000,00.

O juiz do Trabalho não se comoveu com as alegações:

No tocante à doença, é evidente que fimose não tem qualquer relação com o trabalho, jamais podendo ser caracterizada como doença ocupacional. Sabe-se que fimose é a dificuldade ou mesmo a impossibilidade de expor a glande do pênis em razão de o prepúcio ter um anel muito estreito. Como ninguém deve deixar o pênis exposto no trabalho, não pode haver relação entre o citado membro e o labor desempenhado na empresa. Aliás, chega às raias do absurdo a alegação do reclamante. Uma coisa temos que reconhecer: é preciso muita coragem para ajuizar uma ação desse tipo. (…) Impossível alegar que o problema no membro atingido pudesse provocar perda ou redução da capacidade para o trabalho, já que o “dito cujo” não deve ser usado no ambiente de trabalho. (…) Sendo impossível alegar qualquer relação de causalidade do problema sofrido pelo autor, que aliás já foi solucionado conforme declarado em seu depoimento pessoal, e também não restando provado o alegado problema nos joelhos, indefero o pedido de “indenização por demissão sem justa causa de empregado doente”.

O juiz também indeferiu os demais pedidos, fazendo referência literal a alguns erros de português existentes na petição inicial:

Não foram demonstradas diferenças salariais por “reposisão (sic) salarial”, ou seja, “por exercer funsão (sic) superior a espesifica (sic) no contrato” (fl. 07).

Por fim, o juiz deixou de condenar o reclamante nas penas por litigância de má-fé, justificando que, em virtude do glande grande sofrimento do autor, isso não atenderia aos fins prepúcios precípuos da Vara.

Original disponível para download

Quem sabe se fossem hemorróidas…

Sobre Márcio Lacerda, candidato da "Aliança" (parte 8)

É a minha última manifestação antes das eleições. Hei de me calar para que não haja interferência no "processo" "democrático". Porque, vocês sabem, o processo é lento...

Como considerações finais, depois de tanto post para evitar a eleição do Lacerda - haja vista que eu não estou sozinho nessa campanha -, fica a certeza de que haverá segundo turno. Eu creio nisso por dois motivos:

Primeiro: por mais que Aécio e Pimentel tenham apadrinhado o Márcio Lacerda, a cidade não conhece esse sujeito. E, como vocês bem sabem, mineiro é um bicho deveras desconfiado... Eu sou mineiro, sei cumé.

Segundo: o percentual de indecisos, segundo a última pesquisa do DataFolha, é de 8% - sendo que o candidato do Pimentécio tem 45% e a soma dos outros candidatos é de 40%. Votos brancos ou nulos totalizam 7%.


É isso. E vamos às urnas. Sem votar no Márcio Lacerda, com certeza! Podem votar em quaisquer outros candidatos, mas nele não. Eu não creio que ele merece meu voto. Nem o seu, nem de ninguém!

Não deixe Beagá na merda. Não vote no Márcio Lacerda!

FUDEU!

E eis que o meio de campo fica embolado em Belo Horizonte. As pesquisas oficiais, segundo os institutos IBOPE e DATAFOLHA, mostram Lacerda com mais de 40% das intenções de voto. Porém, pesquisando sobre isso e recebendo e-mails, parece que não é beeeeem assim.

Segue uma reportagem do NOVOJORNAL logo abaixo. E o pau quebra, e o circo pega fogo. Só falta o palhaço se f...


A rejeição de Marcio Lacerda, escondida em todas as pesquisas divulgadas, deverá ser o principal fator do segundo turno


Embolou a eleição em BH!
Depois da constatação através do cruzamento de diversas pesquisas encomendadas pela assessoria do candidato a prefeito de Belo Horizonte Marcio Lacerda para orientação na reta final da campanha, o pânico tomou conta de sua candidatura.

Frente a este novo quadro, a três dias da eleição, a estratégia terá que ser modificada, assim como as peças de sua campanha para o dia da eleição.

Tudo porque o percentual de indecisos era bem superior que o apresentado nas pesquisas registradas no TRE-MG. Segundo técnicos da área, os indecisos seriam eleitores que omitiam seu voto com receio de represálias.

Sociólogos consultados pelo Novojornal para explicar este fato informaram que possivelmente quase a totalidade destes “indecisos” seriam funcionários públicos estaduais e municipais. Desta forma, como dito, receosos de declararem seu voto.

O voto em branco, tido como voto de protesto, migrou para Leonardo Quintão através do conhecido voto útil, tendo em vista que seu crescimento nas pesquisas apontaria a possibilidade de segundo turno.

A grande insatisfação entre os que votariam em branco e migraram para Quintão está na participação ostensiva do governador de Minas e do prefeito de Belo Horizonte na campanha de Lacerda, além do enorme gasto financeiro.

A rejeição de Lacerda é enorme e a do governador e do prefeito, embora tida como pequena, existe, afirmam os mesmos.

Depois do cruzamento das pesquisas, constatou-se que mais da metade dos “indecisos” são eleitores de Jô, o restante de Quintão e Sérgio Miranda.

Este cenário, somado a uma queda de quase 11% de Lacerda ocorrida e omitida desde a primeira pesquisa divulgada e um crescimento de 6% de Jô, ocorridos nestas mesmas pesquisas, levaria o candidato apoiado pelo prefeito e pelo governador para o segundo turno.

Estes sociólogos prevêem que a movimentação de votos neste caso chegaria a 30% do total dos votos válidos.

Segundo os mesmos, tudo pode ocorrer diante desta situação.

Importante informar que, nos termos da lei, estas pesquisas não podem ser consideradas oficiais nem eleitorais, uma vez que não foram registradas no TRE-MG. (Em obediência ao Artigo 15, da Resolução nº. 22.623, instrução nº. 112 - CLASSE 12ª- Distrito Federal, que dispõe sobre pesquisas eleitorais - Eleições de 2008.)

Desta forma, trata-se apenas de uma análise feita por especialistas e que se encontravam escondidas a sete chaves pela assessoria de Marcio Lacerda.

Neste cenário, Quintão teria algo em torno de 29%, Jô 26% e Lacerda 30%, Sérgio Miranda 8%, Gustavo Valadares 3%, Vanessa Portugal 1.5% e os demais menos de 1% cada.

Como a margem de erro é de 4%, existiria um empate técnico entre os três candidatos com maior percentual na pesquisa.

Agora é esperar para ver o resultado da eleição.

Sobre Márcio Lacerda, candidato da "Aliança" (parte 7)

Ora, ora, ora... Se há muito sabemos da relação entre Márcio Lacerda e Mensalão, estamos sabendo de mais uma laranjada!

Roberto de Carvalho, o candidato a vice na chapa do Pimentécio, também tem rabo preso. Veja só:

A estar correto o relatório da Polícia Federal, o que impressiona é o ecumenismo. Se vocês abrirem o documento, nas páginas 14 e 15, encontra-se a relação dos candidatos (159) e dos partidos (17) que teriam recebido recursos do grupo. Estampar a imagem do governador Aécio Neves como “envolvido” (palavra amplíssima) no esquema criminoso é forçar a barra. O nome dele nem sequer é citado pelo delegado Zampronha. Está entre os 14 candidatos tucanos que teriam recebido recursos para a campanha: no caso, R$ 110 mil (página 14). Ao todo, 14 candidatos a deputado do PSDB teriam distribuído entre si R$ 647 mil. Outros R$ 75 mil teriam sido divididos entre o PSDB e o PSN. O interessante é que, VEJAM SÓ, OS PETISTAS RECEBERAM AINDA MAIS: 35 pessoas ficaram com R$ 880 mil. Os campeões, no partido de Lula, são Roberto Carvalho (R$ 200 mil), Chico Ferramenta (R$ 145,5 mil), Virgílio Guimarães (R$ 50 mil), Paulo Delgado (R$ 50 mil) e Maria do Carmo (50 mil). Guimarães, dizem os petistas, foi quem apresentou Marcos Valério ao alto comando do partido.

Vide link.


Não acabou não, tem mais:

O nome de Maria do Carmo [Lara, candidata a prefeita de Betim] figura na lista [do mensalão, publicada pelo ISTOÉ semana passada] junto com outros políticos mineiros do PT, tendo sido ela a terceira maior beneficiária do partido. Roberto Carvalho foi o petista com maiores recursos, R$ 200 mil. Chico Ferramenta vem em segundo, com R$ 145 mil e Maria do Carmo, Paulo Delgado e Virgílio Guimarães, os três deputados federais, com R$ 50 mil cada.

A apuração da Polícia Federal se deu a partir de uma lista de Cláudio Mourão, responsável pela distribuição dos recursos e que, na época, respondia pela contabilidade financeira da campanha de Azeredo. A lista foi considerada como autêntica pela Polícia Federal. No total, segundo o relatório da Polícia Federal publicado pela revista, o PT teria recebido R$ 880 mil no esquema de "caixa 2" de Marcos Valério.

A lista mostra que o total dos repasses para a suposta "compra de apoio" à candidatura de Azeredo chegou ao valor de mais de R$ 10 milhões, todos captados de empresas públicas, ligadas ao próprio Governo. Mas pelo relatório da Polícia Federal, divulgado pela revista, o esquema pode ter chegado a R$ 100 milhões, embora oficialmente a campanha de Eduardo Azeredo tenha custado R$ 8,5 milhões.

(OTempo Betim - 25/09/2008. Com certeza, uma tentativa do Vittorio Mediolli de jogar a Maria do Carmo Lara para escanteio. Só que acabou respingando do lado de cá. Nisso que dá jogar merda no ventilador...)